Os Poderes da Bobosa

Os Poderes da Bobosa FREI ROMANO CURA MUITOS DE CÂNCER 
Vittorio Bosello sobre o trabalho do frei Romano do Convento da Natividade em Belém, Israel, antes de retornar ao Brasil, onde publicou o livro "Câncer tem cura!". Frei Romano Zago, franciscano, brasileiro, nascido em Lajeados, RS, na Diocese de Santa Cruz, em 1932, de origem italiana, é aberto, simples e afável. É vigário do convento e professor de latim dos jovens freis que estudam filosofia em belém antes de passar para o seminário Teológico Internacional do Convento de São Salvador, em Jerusalém, onde o Frei romano também leciona a língua latina.
Caso vocês o procurem em seu convento em Belém, não esperem encontrar um mago com barba grande e olhar sinistro. Ele não tem laboratório, nem alambique, nem fórmula misteriosa. Não possui nem mesmo um liquidificador: pede emprestado à freira responsável pela cozinha do convento. Não é mago, nem médico.
Se não é médico, nem mago, de onde veio sua sabedoria? Frequentou a escola dos pobres. "Venho do Brasil, onde as pessoas mais pobres não tem acesso às conquistas sofisticadas e caras - muitas vezes ineficazes - da medicina moderna. Recorreu diretamente ao Bom Deus que criou as ervas e, entre estas, a babosa" - que se encontra em toda parte, mesmo à margem das estradas e que Frei romano aprendeu a reconhecer com a sua gente.
Se perguntarem se é verdade que cura o câncer, ele vai responder que "você também pode. Qualquer um pode fazê-lo. a força misteriosa está na Mãe-Natureza, portanto ao alcance de todos."
"A cura não é imediata. Frei romano procura evitar ilusões miraculosas. se o primeiro tratamento não levou à cura, o paciente deve se submeter a exames para ver a necessidade de um segundo, terceiro ou quarto tratamento até a cura total". Frequentemente alguns pacientes sentem uma melhora repentina. Isto não é sinal de cura. só os exames médicos vão mostrar se houve ou não melhora. A eficácia da mistura é segura e atua sobre qualquer tipo de câncer, seja externo ou interno. a experiência de Frei Romano registra casos de cura de Leucemia como coisa simples.
Trecho editado do livro "Conheça outras terapias" por Hildegard Bromberg Richter
A receita
1/2 Kg de mel de abelha (mel puro, natural) *Obs: Se você é diabético, possui alergia ao produto ou tem receio sobre a genuinidade do mesmo, pode triturar a babosa e a bebida destilada de sua escolha, utilizando suco de fruta, legume ou verdura, para criar o contraste (em lugar do mel),contudo, se o paciente tolerar bem o destilado e a babosa, não há necessidade de providenciar o suco.
40 a 50 ml (5 a 6 colheres) de bebida destilada (cachaça de alambique ou uísque ou conhaque).*Obs: Não utilize vinho nem cerveja, porque são bebidas fermentadas, com menos concentração de álcool, necessitando, se fosse o caso, para a função, de maior volume. Licores, de qualquer espécie, ficam fora de cogitação, porque são produzidos a base de açúcar.
Folhas de babosa (Aloe arborescens): duas ou três de forma que, em fila indiana, se aproximem de um metro de comprimento.
O preparo
Remover os espinhos das bordas das folhas, bem como a poeira que a natureza aí pode depositar, utilizando-se de um pano limpo ou esponja. Picar as folhas, sem remover a casca, jogando-a no liquidificador, junto com o mel e o destilado escolhido. Triturar bem, até obter-se uma espécie de creme esverdeado, estará pronto então para o consumo.
Obs: não cozinhar nem filtrar.
Se conservado em geladeira, envolver o frasco em embrulho escuro ou vidro de cor (âmbar). Fora da geladeira não azeda.
Como tomar
• Tomar uma colher, das de sopa, uns 10 a 20 minutos antes do café da manhã, almoço e jantar. 
• Iniciado o tratamento, ingerir o conteúdo todo do frasco.
• Se o problema for câncer e se não houve cura nem melhoras, é preciso repetir a operação, observando-se o intervalo de 5 a 7 dias. Tal procedimento (de repetir a dose) deve-se tê-lo tantas vezes quantas forem necessárias para eliminar o mal.
• Somente após os primeiros três a quatro frascos sem o êxito desejado deve-se recorrer a uma dose dupla, ou seja, duas colheres antes das três refeições, já que temos tidos casos de pessoas que, mesmo em fase terminal, com um frasco e uma colher antes de comer, conseguiram livrar-se do mal. 
• Durante o período de ingestão do remédio, é desaconselhável consumir qualquer tipo de carne, bem como derivados de animal, substitua a carne por frutas, legumes, verduras, cereais e derivados.
• Se o paciente estiver tomando remédios receitados por seu médico, ou precisar submeter-se a radioterapia, quimioterapia ou similares, nada impede que, concomitantemente, siga o tratamento com a babosa.
Obs: nunca abandonar o tratamento e acompanhamento médico.
Colheita da Planta para o Preparo
O pé de babosa tem que ter pelo menos 5 anos de vida- A planta obtém sua maturidade plena a partir dos cinco anos. Em caso de necessidade, é claro que se pode lançar mão de folhas de plantas mais jovens.Apanhar a babosa no escuro, após cinco dias sem chuva. Não colher com orvalho. Preparar de preferência no escuro. Preparar logo depois de colhida. Segundo estudos recentes, a babosa, quando em flor, tem reduzidas as suas propriedades medicinais, já que dirige toda a sua energia para a flor (fruto). Evite colher as folhas para o preparado na época em que a planta floresce; se houver necessidade de fazer a coleta, opte por uma haste em que não brotou flor neste ano e que, portanto, não terá canalizado sua energia para aquele ponto.
O Frei Romano Zago, em o livro Câncer tem Cura, aponta três possíveis situações após o tratamento:
1. Cura Total do indivíduo, não importa o tipo de câncer, nem o estado em que se encontra a pessoa, podendo tratar-se de doente já em fase terminal.
2. Bloqueio do mal, ou seja, a doença não se alastrou. Ocorreram mudanças insignificantes em exames realizados pelo paciente, vale a pena relembrar que sem o tratamento a doença teria se alastrado.Neste caso é importante continuar o tratamento, repetindo as doses, lembrando sempre de respeitar os períodos de parada (5 a 7 dias) apontados na receita. O paciente não deve parar o tratamento no meio pois perderá todos os ganhos realizados e ainda permitirá que o câncer aumente sua resistência.
3. Quando o tratamento não surte efeito.Tente de três a quatro frascos, se continuar sem nenhum efeito desejado, apele para o remédio em dose dupla, em vez de tomar uma colher antes das refeições, passe a tomar duas.
Considerações finais
Apesar do entusiasmo do Frei com as propriedades da planta, e do seu uso ser recomendado até por alguns oncologistas franceses, conforme relatado no livro, ainda há muita discussão a respeito do uso da babosa. Caso você queira utilizar a receita do Frei Romano, leia também os artigos contrários à sua utilização disponíveis na internet e tome a sua decisão.
Fonte via http://homeopatiaevida.blogspot.com.br/2007/03/os-poderes-da-babosa.html
Voltar

FOTOS DE DICAS